LINHA DO TEMPO
28/10/2014

Eloverde intensifica ações no Rio Tigre

Segunda etapa do Projeto Revitalização dos Rios de Erechim quer recuperar a mata ciliar no arroio

“Que rio queremos?”. Este é o questionamento que o Projeto Revitalização dos Rios de Erechim propõe em sua segunda etapa. Agora, além das limpezas a Eloverde promoverá e realizará o plantio de mudas nativas na área crítica do arroio Tigre. Pontos localizados, em bairros por onde o rio passa, também receberão ações do Projeto.

As primeiras atividades já ocorreram. A pedido da direção da Escola Caic Cristo Rei, de Erechim, cerca de 250 mudas nativas foram plantadas por 40 acadêmicos da Universidade Federal Fronteira Sul (UFFS), em parceria com a Eloverde. A atividade foi motivada por um projeto de arborização escolar desenvolvido por professores que participaram do Curso em Gestão e Educação Ambiental com Práticas Pedagógicas, oferecido pela Eloverde.

O objetivo do projeto é mobilizar os estudantes da escola e a comunidade para a necessidade de desenvolver a arborização no espaço escolar e assim melhorar a qualidade de vida. Nesta terça-feira (28), ocorreu o plantio de mais 250 mudas, sob orientação dos biólogos da Eloverde, com estudantes da escola Caic.

Ações simultâneas

Além da atividade na escola localizada no bairro Cristo Rei, no último sábado (25), mudas nativas foram plantadas no Centro de Artes e Esportes Unificado (CEU). Esta ação deve ter continuidade durante a segunda etapa do Revitalização.

Em paralelo, ocorreu uma ação de educação ambiental com limpeza, no Rio Tigre. Nesta atividade, a equipe da Eloverde contou com um grupo de acadêmicos da Unopar, que conseguiu retirar aproximadamente dois mil quilos de resíduos do ponto localizado próximo ao bairro Estevão Carraro.

O casal Jair e Rejane Sadovnik, decidiu dedicar a tarde de folga à atividade proposta pela Eloverde. “Na chegada percebemos o quanto a população erechinense não preserva a água que possui. É importante que levemos para outras pessoas o que estamos presenciando neste momento, pois todos nós temos a obrigação de preservar esta fonte de vida que temos em Erechim. Me sinto muito importante em fazer parte deste trabalho de hoje, onde certamente estarei contribuindo para que tenhamos uma água mais saudável”, destaca Jair.

Para Rejane, foi uma surpresa encontrar tanto lixo no local. “Isto serve para que possamos ver com os próprios olhos a situação, pois você ouvindo ou vendo no noticiário não tem ideia do que realmente é”.

“É importante pedir ao povo erechinense que se conscientize quanto a importância de não jogar o lixo em qualquer lugar. Este lixo vai, no decorrer do tempo, causar alguma conseqüência na natureza. Então colaborem, contribuam e saibam que estão fazendo um trabalho para preservar a nossa vida. A água é fonte de vida para todos nós”, finaliza.

Pense nisso

O crescimento urbano sem planejamento, a exposição da população às variantes ambientais, a insalubridade alta devido aos resíduos que ficam a céu aberto e a facilidade de proliferação de vetores de doença de veiculação hídrica, são algumas das consequências da ação do homem frente à natureza. Elas decorrem de sua incapacidade de conviver e compartilhar com a vida que o cerca.

Saiba mais

Em sua segunda etapa, o Projeto Revitalização dos Rios de Erechim empregará todos os esforços na recuperação do Rio Tigre, muito castigado pelo descarte de resíduos sólidos.

O projeto tem o intuito de se integrar à política pública municipal de gestão dos recursos hídricos e hoje já faz parte das ações prioritárias previstas no plano de gestão da micro bacia de abastecimento público da cidade de Erechim do Comitê de Bacia Hidrográfica Apuaê-Inhandava.

Com duração de um ano, a etapa dois contará com o patrocínio do Conselho Federal de Defesa de Direitos Difusos (CFDD), do Ministério da Justiça.  

 
Linha Tempo