LINHA DO TEMPO
07/02/2011

Esforço e parceria retira tronco de árvore que represava água e lixo no Tigre

Um dia ímpar e de extrema recompensa. Esta foi a análise da equipe da ELOVERDE, voluntários e comunidade ribeirinha do Rio Tigre, mais precisamente no Povoado Capra, momento em que, através de um trabalho conjunto, muito esforço e parceria, retiraram  o tronco de uma árvore que, além de estar represando as águas do Rio Tigre, tornava-se uma grande adorno de lixo das mais diferentes espécies que chegam através da correnteza e nas grandes enxurradas.

 Para tanto, a façanha foi realizada com o auxílio de Cláudio Capra, 60, dono de uma propriedade rural próxima ao leito do rio e seu trator, e os associados do Jeep Clube que, com o auxílio da tração 4 x 4 fizeram um grande trabalho.

Mas a satisfação não estava somente na retirada do tronco e da grande quantidade de lixo, que nesta etapa, foram 2,7  toneladas, mas na satisfação de receber notícias de que moradores próximos ao Tigre estão mudando o pensamento sobre o destino do lixo. Em vários pontos onde já ocorreram as etapas anteriores, a situação parece bem diferente da encontrada, ou seja, o rio encontra-se limpo e os moradores estão tentando fazer a sua parte dentro deste processo.

Moradora do Povoado Capra, Rio Tigre, Normeli Carlesso, 56, lembra do rio quando construiu a sua primeira casa há 30 anos atrás. Um tempo em que, segundo ela, a sujeira existia, mas não na quantidade que hoje é vista. O cheiro do rio, lamenta ela, também é muito forte. “Lamento ver o rio como se encontra devido a irresponsabilidade das pessoas que usam o leito para depósito de lixo, mesmo sabendo que existe a coleta. Em nossa localidade são duas vezes por semana”.

 Um dos fatos que chama a sua atenção é quanto a grande quantidade de roupas que acabam descendo rio abaixo. “Não sei porque as pessoas acabam jogando dentro do rio, principalmente roupas quando ganham novas através de campanhas. É muito triste”.

O trabalho que vem sendo desenvolvido nas primeiras seis etapas –limpeza e entrega de material educativo feito corpo a corpo nas residências próximas ao rio e comércio em geral, está provocando mudanças nas pessoas no que se refere aos cuidados com os rios.

 “Este é um processo lento, mas com resultados surpreendentes. Uma atitude que, realizada agora por toda a equipe de voluntários, terá, num futuro próximo, um resultado positivo em toda a comunidade local e regional. Estamos fazendo a nossa parte, mas cabe a cada cidadão também fazer a sua. Este é um trabalho conjunto e não de um único grupo”, finaliza a gestora do projeto .

 A  ELOVERDE trabalha no projeto de Revitalização dos Rios de Erechim, que tem como apoiadores o Ministério Público Estadual e a  Vara de Execuções Criminais, além de uma vasta rede de apoio de entidades locais. O projeto tem três macro-objetivos. O primeiro é o mapeamento dos rios Tigre, Suzana e Dourado, o segundo a  educação ambiental da sociedade civil e o  terceiro é a limpeza física dos rios.

Linha Tempo