LINHA DO TEMPO
10/01/2011

Etapa 03 se depara com a triste realidade do rio Tigre

 A Etapa 03 do Projeto de Revitalização dos Rios de Erechim, desenvolvida pela  ELOVERDE, neste sábado, 08, com a presença de 17 voluntários no Rio Tigre, mais precisamente no trecho localizado às margens da BR 153 e que passa pelo Bairro Progresso, mostrou a triste realidade da atual situação dos rios de Erechim, ou seja, do descaso com o meio ambiente e com a própria saúde de toda a comunidade de seu entorno.

 No cenário, que mais parece um final trágico de um filme de guerra, foram encontrados peças de automóveis, máquinas de secar roupas, tecidos, pets, sacos, embalagens vazias, carne em decomposição e outros tantos itens que fazem parte da vida no meio urbano. Uma constatação de que, o que é feio para muitos, faz parte do cotidiano para outros. No total foram recolhidas uma tonelada e meia de lixo. 

 Entre as voluntárias, a estudante de Ciências Contábeis da URI-Erechim, Sandra Mara Comin destacou que a sua adesão ao projeto da Eloverde faz parte de uma necessidade de toda a comunidade participar e dar a sua contribuição para mudar o atual cenário. “Não é mais possível presenciarmos a destruição da natureza e de nossos rios e não darmos a nossa parcela neste processo educacional. Acompanho o trabalho desenvolvido pela  ELOVERDE na imprensa e, desta forma, estou dando a minha contribuição”.

 Para o vereador Serginho Bento, que está engajado no Projeto desde a sua implantação, e que literalmente coloca a mão na massa em todas as atividades propostas, em especial na retirada de lixo dos rios, existe a urgente necessidade de cuidarmos de nossas águas, dando além do exemplo, uma oportunidade para que as futuras gerações também possam desfrutar dos rios. “Se cada um dar a sua contribuição, a natureza estaria bem melhor. Este é um trabalho que realizo em prol do bairro. Somente no ano passado, em ações realizadas desta forma, foram retirados 250 caminhões de lixo. O trabalho da  ELOVERDE é um exemplo para que todos façam a sua parte”.

 O morador João Carlos Brouwensty, portador de uma micose adquirida nas águas do Tigre, quando de sua limpeza nas proximidades de sua casa na João Francisco Busato, garantiu que todos os dias limpa a sujeira que se acumula próximo a sua casa e que, através do trabalho da  ELOVERDE, uma ótima iniciativa na conservação do meio ambiente.

 Por fim, José Paz de Oliveira, morador da CEMAPA, vê a situação do rio Tigre como péssima, principalmente do mau cheiro e a água que invade grande parte da área próxima a sua casa quando de grandes enxurradas.

Para ele, a iniciativa da  ELOVERDE é muito louvável, mas que deveria haver, por parte da Prefeitura Municipal uma maior participação, especialmente porque o acúmulo de lixo nas margens do Tigre é muito grande, o que depende de uma grande quantidade de pessoas envolvidas e um maquinário específico para isto.

Linha Tempo