LINHA DO TEMPO
06/01/2011

Trabalho de educação ambiental sinaliza preocupação de moradores quanto ao lixo

Através do trabalho de sensibilização e Educação Ambiental realizado nesta quarta, 05, com moradores usuários da UBS do Bairro Progresso, voluntários da ELOVERDE ouviram seus anseios e solicitações quanto ao problema e a destinação correta do lixo, em especial quanto a atual situação do Rio Tigre.

 Além de entregar o material educativo, trabalho que também está sendo feito junto a restaurantes, pontos de ônibus e estabelecimentos comerciais, e coletar assinaturas em manifesto de todos os presentes, a educadora ambiental Luciana Inteker pode ouvir, por parte da população o que pensa sobre o acúmulo de lixos e as suas conseqüências na vida de todos.

 Para a moradora Lurdes Salete dos Santos, existe um grande acúmulo de lixo na sanga, onde moradores locais e de outras localidades depositam o seu lixo. “A prefeitura fez um grande mutirão para recolher o lixo, mas após dois ou três dias o lixo já estava no mesmo local. O caminhão passa até três vezes por semana, daí não há a necessidade para se jogar o lixo no rio. Se houvesse uma conscientização de todos, não haveria mais enxurradas”.

 Carlos Nei de Oliveira destaca que a comunidade local gostaria de que houvesse um terreno para que pudessem colocar os restos de poda, corte e grama. “Se o caminhão não leva, por mais que se deixe tudo organizado na sacola de lixo, tentamos até misturar com o lixo orgânico, mas os recolhedores percebem e acabam não levando”

 Já para Marli Florkoski, moradora da Rua João Batista Puerari, existem alagamentos em épocas de chuva, em que o cheiro é muito forte.“ Já procuramos manter contato com a Prefeitura Municipal, mas até o momento não obtivemos resposta. Alguns vizinhos estão indo embora devido a este fato”, finaliza.

Linha Tempo